Como a cerveja se tornou a bebida preferida das mulheres

A cerveja é considerada uma bebida saudável

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Existiu um tempo onde as bebidas conhecidas como “bebidas de mulher” eram vodka e gin. Hoje a cerveja é a mais pedida das mulheres, seja no barzinho ou no churrasco com os amigos.

A mudança de hábitos da sociedade, contou com a grande participação das mulheres. Elas lutaram para conquistar a igualdade social desde o direito do voto até o direito de dirigir e, atualmente, ocupam cargos que antes eram designados apenas para homens. Da mesma forma, essa participação das mulheres aumentou significativamente no mercado cervejeiro, que era uma área explorada pelos homens, e hoje elas fazem parte tanto como consumidoras – exigentes, inclusive! – como também profissionais do ramo.

As protagonistas da criação da cerveja são mulheres

Se hoje as mulheres conquistaram seu espaço na sociedade, há 8 mil anos atrás elas eram as responsáveis por ficar em casa cuidando das tarefas domésticas enquanto os homens saiam para caçar.

Mulheres eram as responsáveis pela fabricação da cerveja
Mulheres eram as responsáveis pela fabricação da cerveja

As mulheres saíam colher grãos para fazer alimentos para suas famílias, e nesse processo, ao fazer a massa de pão deixaram o grão de trigo fermentando na água por alguns dias, e acidentalmente inventaram a cerveja.

A cerveja era usada como alimento

Na Suméria a cerveja era um alimento nutritivo, a bebida era servida em uma espécie de sopa com mel e tâmaras e entregues para os deuses sumérios pela Deusa da Cerveja, Ninkasi.

Ninkasi é a Deusa da Cerveja
Ninkasi é a Deusa da Cerveja

Ninkasi existiu entre 5000 e 2000 a.C na Suméria, onde atualmente se encontra o Iraque. Na mitologia, ela se tornou deusa da cerveja por ser filha de Enki, o Deus das Águas Doces, e preparava a cerveja com cozimento de grãos, adição de frutos e mel e a deixava fermentar em potes para depois serem entregues como forma de alimento aos deuses.

A cerveja começou a ser comercializada por mulheres

Na cultura dos vikings, as mulheres também fizeram parte da história da cerveja. Além de produzir para o próprio consumo, as mulheres na época comercializavam o líquido precioso como parte de renda extra para a família e ficaram conhecidas como “esposas cervejeiras”.

No século 16, os homens tomaram posse da comercialização da cerveja e aumentaram a expansão do mercado, incluindo a adição do lúpulo na fabricação para que a fermentação da bebida não azedasse e pudesse durar mais tempo para que fosse levada até outras cidades.

Aí que a cerveja passou a ser conhecida bebida masculina, já que agora os homens tomavam conta da produção e comercialização.

Atualmente a cerveja é amada pelo público feminino

Desastrosamente a cerveja foi descoberta por mulheres e não tem como negar, ela faz parte do DNA feminino.

Apesar de os homens representarem a maior porcentagem de consumidores de cerveja – cinco vezes mais, segundo o IBGE – o consumo por parte do público feminino vem crescendo cada vez mais. Tanto que as marcas cervejeiras estão criando propagandas voltadas para esse público.

Cenário da propaganda de cerveja mudou

Quem não lembra da imagem de uma mulher quase pelada com uma cerveja gelada como se essa fosse a fórmula correta para vender cerveja?

Graças a Deus que hoje o cenário é totalmente outro, e não expõe a mulher como um brinde dado ao homem por escolher certa marca de cerveja.

Atualmente a mulher faz parte do cenário do comercial, mulheres normais vêm sendo representadas como consumidora de cerveja. Nada de gostosonas no estilo panicat.

Segundo a Associação Global de Marketing de Varejo, consumidoras de cerveja representam 70% do público no ponto de venda, além de terem grande influência nas escolhas de parceiros, familiares e amigos.

A cerveja faz o coração da mulhereda bater mais forte

Uma coisa é fato: a mulherada é apaixonada por cerveja. E apesar de nenhuma cervejaria ter se aventurado em fazer uma cerveja especial para mulher – nem deverá se atrever – as mulheres estão tendo muita participação da fabricação da bebida.

Cerveja é bebida de mulher sim!
Cerveja é bebida de mulher sim!

Um estudo da Universidade Stanford, na Califórnia, mostrou que em 2014, 20% das cervejarias abertas naquele ano no estado tinham uma mulher entre os fundadores. Quanto ao consumo, a Brewers Association mostrou as mulheres representam 31% de apreciadoras das cervejas artesanais.

É claramente visto que o consumo da cerveja aumentou por parte das mulheres, é só reparar nas festas que você participa, vai ter uma grande parcela do público feminino degustando a bebida.

Então, na próxima vez que você pensar em questionar uma mulher se ela prefere cerveja ou gin tônica, leve logo uma Providência gelada para não ter erro!

O que você está procurando?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Receba sempre em primeira mão

Cadastre-se em nossa newsletter e receba sempre em primeira mão as novidades do Olinda Hotel.